A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Emagreça trocando os alimentos cozidos pelos crus



Uma nutricionista norte-americana lançou há pouco tempo nos Estados Unidos um livro que comprova o poder de emagrecimento dos alimentos crus. Intitulado “A Dieta Desintoxicante dos Alimentos Crus” (ainda não lançado no Brasil), o livro se baseia numa pesquisa que atestou: quem consome mais alimentos crus pesa, em média, quase 12 quilos a menos do que aqueles que comem suas refeições sempre cozidas.

A explicação é simples: quando cozidos, os alimentos perdem grande parte das suas vitaminas. Comê-los cruz ajuda ainda a dar disposição, fortalecer as unhas e deixar os cabelos mais brilhantes. Por isso prefira comer legumes, como a cenoura e a abobrinha, crus. Para temperá-los, deixe de molho por alguns minutos em água e uma pitada de sal.

Faça purês e molhos processando os legumes no liquidificador. Mesmo o arroz e tubérculos (como a batata doce) que devem ser cozidos, não podem ferver por mais de 15 minutos. Asse os vegetais, como a abóbora, com a casca. Ela evita que o calor elimine os nutrientes do alimento. E se você não é fã de brócolis cru, experimente colocá-lo num refratário com um pouquinho de água, tampar e levar ao forno. O próprio vapor vai cozinhá-lo.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

5 alimentos que ajudam a eliminar a gordura abdominal



Quando engordamos um quilo ou dois, o peso extra se reflete diretamente na nossa circunferência abdominal. E a gordura localizada nessa parte do corpo é uma das mais difíceis de serem eliminadas. Mas o acúmulo de gordura é um estado inflamatório do organismo, isto é, um mecanismo de defesa contra a alimentação irregular. Portanto, comer os alimentos certos (chamados antiinflamatórios) e evitar alguns maus hábitos pode te ajudar a acabar com a inflamação e, por conseqüência, com a gordura no abdômen.

Acrescente à dieta
— Chá verde é o rei desse grupo. Beba 2 xícaras por dia. Prefira sempre o feito com as folhas secas ao invés do industrializado.
— Açafrão combina com arroz e frango e ajuda a secar as gordurinhas. Utilize a gosto três vezes por semana.
— O gengibre cru, ralado ou fatiado, vai bem com legumes e salada e é antiinflamatório. Faça um chá fervendo um pedaço de 3 centímetros em 1 xícara de água. Já o gengibre do restaurante japonês tem muito açúcar e perde tal função.
— As sementes de linhaça e chia e os peixes de água fria, como salmão, bacalhau e atum, são ricos em ômega 3 (que faz a “troca” da gordura ruim pela boa). Coloque 2 colheres (sopa) dos grãos em sucos, no leite ou na salada. Coma um filé de 150 gramas de algum dos peixes citados três vezes por semana.
— A quercetina é uma substância antiinflamatória presente na maçã, que deve ser consumida uma vez ao dia, e também na cebola, que pode entrar na comida à vontade.
— Nem toda gordura é ruim. O óleo de gergelim tem ômega 6 (que elimina a gordura LDL, a ruim). Use 1 colher (café) em saladas.
Mude hábitos!
— Em vez de sal, use ervas e especiarias, como alecrim, salsinha e cebolinha, para temperar a comida.
— Coma carnes vermelhas apenas duas vezes por semana. Escolha as magras e limite-se a um filé de 150 gramas.
— Troque o açúcar por adoçantes naturais: estévia e agave.
— Alimentos industrializados, com conservantes, corantes e espessantes, entram na dieta só uma vez por semana.
— Priorize os carboidratos integrais.
Força extra
SUCO DETOX
Ingredientes:
1 fatia de abacaxi
1 copo (200 ml) de água de coco
Suco de ¼ de limão
1 folha de couve-manteiga crua, fatiada
1 colher (sopa) de gengibre ralado
Folhas de hortelã à vontade

Modo de preparo:
Bata os ingredientes no liquidificador. O suco tem efeito termogênico, acelera o metabolismo e a queima de gordura. Tome uma ou duas vezes ao dia.

Fonte: Cláudia

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Dicas para manter a forma no inverno


Todo mundo sabe que manter o peso durante a temporada Outono-Inverno é difícil. É comum ganhar peso nessa época do ano, pois a tendência é relaxar na alimentação, se exercitar pouco e, quando menos se espera, o ponteiro da balança subiu. A dieta dá lugar às receitas tradicionais do período mais frio do ano, como foundue, queijos e chocolates. Sem contar que, ao chegar o inverno, a temperatura do nosso corpo cai e, para se aquecer, ele utiliza a comida como sua fonte mais poderosa de energia. Nessa fase, quem está acima do peso tende a preservar os quilos a mais, porque o corpo sente a necessidade de estocar a gordura.

Portanto, fique atento às dicas de como manter e até perder peso durante a temporada mais fria do ano:

Invista nas sopas
As sopas são grandes aliadas da época, mas é necessário ficar de olho ao escolher os ingredientes. Evite preparos com muito azeite, macarrão, queijos amarelos, bacon, creme de leite e pão italiano. Use grãos como lentilha e grão-de-bico misturados a vários legumes, assim torna a sopa menos densa e calórica.

Masque chicletes
Outra dica interessante é mascar chiclete sem açúcar após o almoço. Segundo um estudo da Universidade da Louisiana (EUA), ele ajuda no combate da fome por doces e também melhora sensivelmente a preguiça. Mas nunca exagere no consumo de chicletes. Se sentir fome, principalmente se a última refeição aconteceu há três horas, faça um lanche leve com baixa caloria ou coma uma fruta.

Prefira fondue light
Como fugir do clássico fondue no inverno? A saída é optar pela “versão light”. Compre queijo feito com leite desnatado ou prefira os brancos. Lembre-se: quanto mais amarelo, mais engordativo esse laticínio será. Se o fondue for de frutas, abuse do morango, da uva e do abacaxi.

Escolha vinho a outras bebidas alcoólicas
Evite o excesso de bebidas alcoólicas, mesmo que seja vinho. O correto é apenas uma taça por dia. Ele funciona como desentupidor dos vasos sanguíneos e faz bem ao coração.

Torne o ato de beber chás um hábito
Tome chá quente de erva-cidreira, chá verde e chá preto da Índia, pois eles ajudam a inibir a fome. O de gengibre aumenta o metabolismo em 20%.



segunda-feira, 27 de abril de 2015

Os temperos que ajudam a emagrecer


Se a dieta está lenta e sem graça, capriche no tempero. Há várias opções de ervas e especiarias que, além de deixar os pratos mais saborosos, agitam o metabolismo, aumentando a queima de gordura. Também combatem a inflamação no organismo diminuindo a resistência à perda de peso. Tem mais: quando você coloca essa turma no prato tende a usar menos sal, o que reduz a retenção de líquido - outro ponto a favor de um corpo enxuto. Veja em quais apostar:

1. Orégano 

Tem o poder de estimular a produção de enzimas responsáveis pela digestão dos carboidratos (pão, batata, pizza...), além de funcionar como um tônico digestivo. Também é antioxidante e levemente diurético. Sugestão de uso: pode ser polvilhado em massa, molho, sopa... Também dá para acrescentar no suco (bata 1 col./chá de orégano com 1 copo/200 ml de melancia) ou fazer o chá (ferva 1 copo/200 ml de água e junte 1 col./café de orégano. Deixe descansar por 5 minutos e coe). 

2. Pimenta-caiena 

Supera a pimenta vermelha em capsaicina - substância que sacia, agita o metabolismo e melhora a circulação. Ou seja, a caiena reduz a fome, acelera a queima de calorias e ajuda a eliminar toxinas. Tem ação antioxidante e anti-inflamatória. Sugestões de uso: dilua 1/2 col. (café) de pimenta-caiena em pó em 1 col. (sopa) de azeite para temperar a salada. No suco, misture água de coco (200 ml), suco de 1 limão, 2 col. (chá) de mel e 1/2 col. (café) de caiena. 

3. Anis-Estrelado 

Mesmo comendo pouco, você sente o estômago pesado? Isso complica qualquer dieta, mas o anis pode ser um aliado. Com substâncias que estimulam as glândulas e a musculatura do tubo digestivo, ele aumenta a produção de saliva e os movimentos peristálticos, aliviando o peso no estômago. Sugestão de uso: prepare um chá com erva-doce, gengibre, camomila e hortelã. Coe e acrescente 1 anis-estrelado. Beba 15 minutos antes das refeições. 

4. Salsa 

Tem efeito diurético (especialmente na forma de chá), ajudando a reduzir a formação de gases e o inchaço abdominal. Ainda contém substâncias que favorecem a digestão, limpam o fígado e livram o organismo das toxinas. Sugestão de uso: suco desintoxicante feito com 1 xíc. de chá de hibiscus (use 2 col./chá da erva), 1 maçã pequena e 1 col. (sobremesa) de salsa picada. Bata no liquidificador e adoce com mel. Ou, simplesmente, polvilhe a salsa na omelete, na salada, na sopa... 

5. Cúrcuma 

Essa raiz (também conhecida como açafrão-da-terra) diminui a irrigação sanguínea no tecido adiposo, enfraquecendo a reserva de gordura. E, por ser rica em curcumina - pigmento amarelo-ouro com alto poder anti-inflamatório e antioxidante -, faz bem para a pele, protege o fígado, facilita a digestão das proteínas e regula o metabolismo.
ugestão de uso: polvilhe 1 col. (chá) de cúrcuma em pó na comida pronta ou dissolva-a em 1 col. (sopa) de azeite para temperar a salada

6. Canela 

Capaz de amansar a fome, especialmente por doce, ajuda você consumir menos calorias ao longo do dia. Já as substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias da canela melhoram o metabolismo da gordura. Também reduz os níveis de insulina - hormônio que, em excesso, aumenta a gordura no abdômen. Sugestão de uso: faça uma 1 xíc. de chá de maçã com canela em pau e beba 15 minutos antes das refeições. No café da manhã, polvilhe 1 col. (café) de canela em pó no leite desnatado ou de soja.


Fonte: Boa Forma

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Jiló ajuda a emagrecer!


Ele faz franzir a testa e provoca cara feia, mesmo quando está somente na imaginação. Encarar o amargo do jiló, porém, faz bem ao coração, combate o mau hálito e ainda ajuda a perder peso.

Embora pertença a mesma família que o pimentão e a berinjela, o jiló é um fruto, e não legume, como seus primos. É concentrado em vitaminas A, do complexo B e C. Contem minerais, cálcio, ferro e magnésio, mas seu potencial reverenciado é no combate ao colesterol e à halitose.

Na dieta, ele ajuda a combater a vontade de comer, sensação quase incontrolável nos mais ansiosos. O valor calórico baixo, 40 calorias em 100 gramas, permite que o jiló seja consumido sem pesar na consciência. Com uma grande quantidade de água na composição, é um aliado do regime, pois promove saciedade.

Entretanto, para ter resultados na balança e na saúde, ele deve ser incorporado à dieta. O gosto amargo precisa fazer parte da refeição ao menos uma vez por semana. Os benefícios desses alimentos só serão sentidos quando ingeridos com frequência. Não vale comer apenas esporadicamente. Uma ou duas vezes por semana é o ideal.

Para quem gostou do valor agregado, mas não consegue desfazer a careta, triturar e fazer dele uma farofa é uma boa alternativa para consumi-lo sem dor. Duas colheres de sopa por semana já são suficientes para garantir seus benefícios. Refogá-lo no azeite também deixa o alimento fácil de comer. Para quem prefere comer o fruto, cortar o jiló em quatro partes e deixá-lo de molho na água com sal por 15 minutos ajuda a reduzir o amargor. 

Fonte: Ig



quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vinagre para manter a forma


Uma pesquisa realizada pela Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, acompanhou 30 voluntários durante 30 dias. Metade do grupo tomava uma colher (sopa) de vinagre antes do almoço e outra antes do jantar. Adivinha só? Na turma do tempero, os voluntários emagreceram, em média, 2 quilos, sem mudar nada na alimentação.

Isso porque o ácido acético, presente em todos os tipos de vinagre, aumenta a termogênese, ou seja, o gasto de energia. Além disso, a substância é apontada como um poderoso recurso para manter o metabolismo ativo. O vinagre ajuda, ainda, a manter estáveis os níveis de glicemia no sangue. Ele é capaz de baixar os índices glicêmicos de pratos ricos em carboidratos, como as massas, fazendo que demorem mais tempo para serem absorvidos pelo corpo, o que evita os picos de insulina seguidos de episódios de compulsão. O consumo do tempero antes das refeições pode diminuir o índice glicêmico do que estiver no prato em até 20%.

Importante também é a ação do tempero sobre a digestão. Ele estimula a secreção de suco gástrico, facilitando a quebra dos alimentos e a absorção de seus nutrientes. Como consequência, o intestino também é beneficiado. O vinagre acentua o sabor dos demais condimentos e permite que a quantidade de sal adicionada aos pratos seja reduzida. E com menos sódio na dieta, o inchaço também diminui.

Duas colheres (sopa) de vinagre por dia são o suficiente para garantir todos esses benefícios. O ideal é consumi-lo nas refeições principais, na salada da entrada, como molho para as massas ou até acompanhando a sobremesa. Só não vale exagerar! A dose diária do líquido deve ficar mesmo entre duas e três colheres (sopa), para evitar danos ao estômago, como azia e queimação. Quem tem gastrite ou úlcera deve evitar o consumo.

Fonte: Corpo a Corpo


segunda-feira, 20 de abril de 2015

Adoce com açúcar de coco!


Muitos adoçantes, principalmente os químicos, contêm substâncias extremamente prejudiciais à saúde, que podem até provocar câncer na bexiga. Uma ótima e natural alternativa para esse problema é o novato açúcar de coco. Ele promete adoçar tudo, com gosto semelhante ao açúcar mascavo, porém muito mais benéfico.

Proveniente da seiva de flores em botão do coqueiro, esse açúcar inovador tem índice glicêmico de 35%, segundo estudo realizado pelo Instituto Filipino de Pesquisas Nutricionais e Alimentares - para efeitos de comparação, considere que o mel possui esse índice em 55% e o açúcar refinado em 68%.

Esse número inferior significa que o açúcar de coco é absorvido pelo corpo de forma mais lenta, provocando menos picos de insulina e, por isso, é mais indicado para prevenir o diabetes. Além disso, como não excede a capacidade de processamento feito pela insulina, não se transforma em gordurinhas, ao contrário da maioria dos alimentos refinados.

Além de ser ótimo substituto para os adoçantes sintéticos, o açúcar proveniente do coco possui vitaminas do complexo B, potássio, magnésio, ferro e zinco. Essas substâncias melhoram o funcionamento do fígado, circulação sanguínea e tecidos, além de prevenir envelhecimento e diabetes, aumentar a disposição, a imunidade e a cicatrização.

Você deve utilizá-lo exatamente como o açúcar refinado comum. O açúcar de coco pode adoçar alimentos e bebidas - como sucos, chás, iogurtes, etc. - na mesma medida que o açúcar branco. Ele também pode ser aquecido e utilizado em receitas assadas, como bolos, pudins e doces, da mesma forma que o tradicional.

Mas não acredite que todas essas vantagens podem encobrir os males do excesso. Assim como o açúcar refinado e os adoçantes, o consumo deve ser moderado e associado a uma alimentação balanceada.


Fonte: Mais Equilíbrio