A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Os poderes de emagrecimento do abacate



Quem conhece o abacate diz logo que ele é uma fruta super calórica e cheia de gorduras. Mas você sabia que ele na verdade ajuda no emagrecimento? Diferentemente do que muitos consumidores pensam, essa fruta é amiga da saúde. O abacate transmite sinais de saciedade ao cérebro, ajuda a controlar o colesterol ruim e a gordura corporal.

Dentre as causas do ganho de gordura está a presença da frutose (açúcar) em muitos alimentos, inclusive nas frutas. Sem dúvida, muitas pessoas não imaginam que a maçã e a banana, por exemplo, possuem mais frutose do que no abacate.

No entanto, esse não é o fator determinante para o abacate auxiliar a emagrecer, mas sim, a presença de potássio (duas vezes mais que a banana), além da gordura monoinsaturada, ou seja, do ponto de vista nutricional é considerada uma gordura boa para gerar energia ao organismo, em conjunto com o potássio.

Deste modo, o abacate se torna um excelente substituto para carboidratos e grãos e outras fontes de açúcar. Ao reduzir os carboidratos, é importante substituir essas calorias por gordura saudável que é, na verdade, a melhor fonte de energia para o corpo e cérebro, em detrimento dos carboidratos. Com isso, além de inibir a fome, impede que ocorram picos de glicemia e promovem, então, perda de peso.

Há a presença do ácido oleico, que se transforma numa substância chamada OEA (oleiletanolamida), que reduz o apetite ao enviar rapidamente ao cérebro a informação de saciedade. Além disso, o abacate é rico em vitamina C e E, complexo B, ômega 6 e 9, dentre outras substâncias benéficas, num total de 20. Elas auxiliam diretamente na redução do colesterol ruim da gordura corporal, na proteção do fígado contra agressores, e também tem ação anti-inflamatória.

Fonte: Vila Mulher


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Banana com aveia para emagrecer


Aquela receitinha de banana amassada com aveia que sua avó ou sua mãe te ofereciam quando você era pequena pode se tornar a melhor amiga da sua dieta caso você adote novamente em seu cardápio. Isso mesmo! Se esse preparo tão comum for feito da forma certa, seguindo quantidades ideais e ainda turbinado com ingredientes termogênicos, é uma arma poderosa contra a balança. 

A banana tem baixo teor de gordura e ajuda a secar medidas porque faz o intestino funcionar bem, evita retenção de líquidos e possui um alto poder de saciar a fome. Também é fonte de vitaminas, minerais, e ótima para quem pratica atividades físicas, já que fornece energia e evita as câimbras e a fadiga muscular, turbinando os exercícios e os resultados da academia. Além disso, possui triptofano, substância que, junto com a Vitamina B6, traz uma enorme sensação de bem-estar.

Já entre a lista de benefícios da aveia está a enorme capacidade de facilitar a digestão e ainda controlar problemas como a pressão alta, a diabetes e o colesterol ruim. Ela ainda faz emagrecer graças à presença de fibras solúveis e insolúveis em sua composição. Qualquer alimento rico em fibras solúveis vai ajudar na redução de gordura, por sua tendência a se ligar e descartar as substâncias produtoras de colesterol no organismo. Por isso, a aveia e a banana se complementam, formando uma refeição saudável e nutritiva.

O ideal é consumir a combinação pela manhã ou uma hora antes de praticar atividades físicas, como um lanche intermediário. O grande truque para turbinar o emagrecimento é adicionar um ingrediente quase milagroso à receita: a canela. Ela é um termogênico natural que acelera o metabolismo e facilita a queima de gordura. Quer mais benefícios? Adicione também a farinha de linhaça, fonte de gorduras boas que diminuem os processos inflamatórios do organismo. Para preparar, amasse uma banana-maçã e misture com uma colher de sopa de farelo de aveia. Em seguida, polvilhe a canela por cima. 

Fonte: Bolsa de Mulher


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

4 dicas para mudar os hábitos alimentares e emagrecer



Os hábitos de alimentação errados são fáceis de adotar e difíceis de abandonar. Principalmente se são praticados desde sempre. Para ajudá-la a superar essas manias à mesa, a seguir você confere 4 dicas para escapar das armadilhas da dieta. Anote e comece a praticar:

Refeição na pressa? Desacelere

Em um estudo de uma universidade americana, mulheres que comiam rapidamente consumiam mais do que as que se alimentavam mais devagar. A razão? Quando você diminui o ritmo, seu cérebro tem mais tempo para registrar a saciedade e mandá-la parar. Comer rápido tem mais efeitos desastrosos: a ingestão de ar é maior, o que contribui para a formação de gases, e a mastigação é inadequada, afetando a digestão. Experimente mastigar mais vezes e dar uma pausa entre uma garfada e outra.

Comer quando está ansiosa: Coma só quando estiver com fome

Engolir uma besteirinha quando se sentir ansiosa libera, sim, uma descarga de bem-estar. Alimentar-se é uma atividade prazerosa, e alguns alimentos dão mais prazer ainda por causa de seu sabor. O problema é que você está fazendo uma refeição desnecessária, ou seja, está ingerindo calorias de maneira inadequada. Além disso, quem tem propensão pode ter uma hipoglicemia, capaz de causar ainda mais fome, além de sintomas como tontura, sudorese e tremor. Quando sentir vontade de comprar uma guloseima para comer, guarde o dinheiro em um cofrinho. Assim você controla a vontade e ainda economiza para comprar aquela bolsa maravilhosa. No lugar, coma uma fruta.

Comer enquanto está distraída: Concentre-se no seu prato

Em outro estudo universitário, foi pesquisada a realização de tarefas durante a refeição e descobriram que a maioria das pessoas ingere entre 35 e 50% a mais de comida enquanto está distraída. Por isso, quando for comer, pare tudo o que estiver fazendo e se concentre no momento. Uma dica: coma primeiro a salada, já que ela ajuda a digestão e contribui para a saciedade. Deixe os carboidratos (arroz, batata) e a carne por último. Assim você se sentirá satisfeita comendo uma quantidade menor desses alimentos calóricos.

Limpar o prato? Deixe sobrar metade da sua refeição

Estudos mostram que, quando o assunto é comer, as pessoas dependem de dicas externas ("O prato está vazio?") em vez das internas ("Ainda estou com fome?"). Parece loucura, mas descobriu-se que, mesmo servindo macarrão mole com molho aguado, ainda se comia até a última garfada. Ao invés de atacar até o último grãozinho de arroz, tente pedir porções do tamanho de entradas, ou ainda comer apenas metade e embrulhar o resto para levar para casa. Um grande erro é comer até “não aguentar mais”. Se você achar que ainda cabe mais no estômago, pare por aí. Uma pesquisa mostra que apenas olhar e sentir o cheiro da comida faz sua barriga roncar mesmo que você não esteja com fome.

Fonte: M de Mulher

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Alimentação saudável: alcachofra



Aqui no Brasil não temos o costume de comer alcachofra com freqüência, mas o consumo dessa flor (sim, flor!) é cheio de benefícios.
A alcachofra pertence à família das margaridas e dos girassóis, originária da Europa e do Norte da África e cultivada no Mediterrâneo desde a Antigüidade, sobretudo na Sicília.

Ela é rica em ciarina, uma substância amarga que estimula secreções do fígado e da vesícula. Também contém tanino, que lhe confere propriedades antidiarréicas. Cada 100g contém cerca de 60 calorias e cálcio, ferro e fósforo, vitaminas do complexo B, potássio, iodo, sódio, magnésio e ferro.

A parte comestível da alcachofra (as folhas são descartadas) é chamada de “coração”, e é onde se concentram as vitaminas. A alcachofra é diurética, pois aumenta o volume da urina e elimina líquidos; é desintoxicante, ou seja, ajuda a eliminar as toxinas e outros resíduos acumulados no organismo; é depurativa, ativando os mecanismos de limpeza do corpo e promove a digestão das gorduras, regulando o fluxo da bílis, contribuindo para metabolizar as gorduras da alimentação. Assim, estas não se acumulam no corpo, ajudando a emagrecer.

Para quem tem dificuldades em encontrar a alcachofra onde mora, existe a opção das cápsulas, vendidas em drogarias e lojas de produtos naturais. Uma consulta com nutricionista irá indicar a forma de uso das cápsulas para aproveitar melhor as vitaminas e benefícios da alcachofra.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Os alimentos certos para diminuir a flacidez corporal


A alimentação é fundamental para combater a flacidez. Nosso corpo é formado por ossos, músculos, água e gordura e é necessário um equilíbrio entre todos eles para refletir saúde. Para uma pele firme é necessário colágeno, que é sintetizado a partir dos aminoácidos (proteínas) lisina, prolina e glicina e de outros nutrientes como vitamina C, cobre, zinco, manganês e silício. Para tratar a flacidez, é importante fornecer esses nutrientes por meio da alimentação diária. Veja as dicas  para ter uma pele firme e maravilhosa:

Lisina, prolina e glicina
Adicione a gelatina sem sabor no suco natural.

Vitamina C
É encontrada em abundância nas frutas ácidas como laranja, limão e acerola. Também está presente na goiaba, no tomate, no kiwi, no abacaxi, no morango e na salsa.

Cobre
É encontrado em frutos do mar, grãos integrais, feijões, nozes e batatas. Outras fontes são folhas verde-escuras,frutos secos (ameixa, damasco e figo), cacau e levedura.

Zinco
Está presente em alimentos ricos em proteínas, como carnes magras, frango, peixe, amendoim, leite e derivados, leguminosas (feijão, lentilha e soja), nozes e cereais integrais.Vale lembrar: o zinco proveniente de proteínas vegetais não é tão bem aproveitado pelo organismo quanto o zinco de origem animal.

Manganês
Aparece em abacaxi, oleaginosas (amendoim, castanhas e nozes), aveia, arroz integral, farinha de trigo integral, espinafre, chá-preto e chá-verde.

Silício
Está na aveia, cevada, salsa, nabo, avelã e feijão.

É importante saber que, assim como existem alimentos que auxiliam na manutenção de uma pele firme e saudável, há outros que provocam ou agravam a flacidez. São eles: refrigerantes, doces, frituras, gorduras de origem animal, embutidos, frios, queijos amarelos e alimentos ricos em sódio, como sal, caldos e salgadinhos. Eles exercem efeito tóxico sobre a pele e devem ser evitados. Mas procure eliminar o sedentarismo e melhorar a hidratação. Afinal, eles são essenciais para alcançar o resultado desejado.


Fonte: Corpo a Corpo

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Mantenha um bronzeado bonito e saudável com um Suco Tropical


Você sabia que é possível ficar com o bronzeado mais bonito através da alimentação? Melhor ainda se for através de um suco, que além de gostoso, ainda hidrata. O suco (cuja receita você pode conferir abaixo) é rico em betacaroteno, um carotenoide presente na cenoura e na manga, que é essencial para um bronzeado duradouro e saudável. Além de ajudar a proteger a nossa pele, contra os efeitos maléficos do sol (envelhecimento precoce, manchas, câncer de pele), o betacaroteno garante uma pele mais dourada e menos avermelhada. Já o gengibre é termogênico, contribuindo para manter a boa forma no versão, além de ser um anti-inflamatório natural. E o colágeno hidrolisado auxilia no combate à flacidez e ao envelhecimento da pele. Veja a receita:

Suco tropical
- 1 manga inteira cortada em pedaços;
- 1 cenoura pequena cortada em pedaços;
- 1 colher de chá de gengibre ralado;
- 1 porção de colágeno hidrolisado de laranja;
- 1 copo de água

Modo de preparo: Bata tudo no liquidificador já com o gelo.

Rendimento: 2 porções;


Fonte: Vogue

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

5 dicas para manter a saúde e a beleza no verão


O verão chegou e está na hora de escolher os alimentos certos para ficar com o corpo e a pele em dia. Você sabia que é possível ficar com o bronzeado mais bonito através da alimentação? Confira a seguir 5 dicas para ficar com o bronze em dia, e ainda, manter a saúde na estação mais quente do ano:

1. Coma alimentos ricos em betacaroteno e vitamina D, pois eles ajudam na fixação da cor da pele ao se bronzear.

2. As principais fontes de betacaroteno são os alimentos alaranjados como cenoura, laranja, abóbora, melão, manga, carambola, pêssego e vegetais verde-escuros, como espinafre, endívia, couve, chicória e agrião.

3. Poucos alimentos são naturalmente ricos em vitamina D. Para compensar, recomenda-se ingerir produtos enriquecidos, como cereais matinais.

4. A hidratação precisa ser constante. A recomendação geral é que se consuma no mínimo 2 litros de água por dia e de preferência entre as refeições para manter o organismo sempre hidratado.

5. Evite alimentos muito gordurosos e pesados como frituras, empanados, cremes e molhos espessos. Isso porque eles exigem mais energia do organismo para serem metabolizados e tornam a digestão mais lenta, dando a sensação de empanzinamento e desconforto intestinal.


Fonte: Viva Saúde